Viagem sobre duas rodas: “O medo bloqueia a gente de viver coisas incríveis”

No antebraço direito, a escriturária Sany Max Falci, de 28 anos, tatuou recentemente o mapa do Brasil – país em que ela já percorreu nada menos do que 22 estados sob duas rodas. A paixão começou

No antebraço direito, a escriturária Sany Max Falci, de 28 anos, tatuou recentemente o mapa do Brasil – país em que ela já percorreu nada menos do que 22 estados sob duas rodas. A paixão começou cedo. “Os meus pais sempre andaram de moto. Eu ia para a escola na garupa da minha mãe”, lembra.

E foi na companhia dela, de quem ganhou aos 18 anos a primeira scooter (uma Suzuki Burgman 125), que Sany pegou estrada pela primeira vez para visitar familiares. Foram cerca de mil quilômetros de muito vento lateral até Martinópolis, no interior de São Paulo.

Sob uma scooter NMax, mãe e filha se revezaram no guidão. “Como minha mãe já tinha muito mais experiência do que eu, fiquei mais segura. Tive noção de como era levar alguém na garupa; do quanto meu corpo aguentaria ficar em cima de um moto; e do tempo que eu levaria para percorrer essa distância”, diz Sany.

Depois da estreia, ela passou a viajar aos finais de semana na companhia de amigos para cidades próximas, como Campos do Jordão, Monte Verde e Socorro. Assim, foi adquirindo mais experiência, e não parou mais. “Todo mundo que está no início tem vontade, mas tem medo. E esse medo bloqueia a gente de viver coisas incríveis”, afirma Sany.

No ano passado, depois de ir de São Paulo para o Maranhão e descer pela costa do nordeste, ela fez a sua primeira viagem sozinha. O marido, a quem ela chama carinhosamente de Minduca, foi com ela até Santa Catarina. De lá, o casal se despediu e Sany seguiu viagem até o Uruguai. “Eu já rodei bastante nesse Brasilzão”, comemora.

Ao lado do parceiro, ela acaba de voltar de mais uma aventura – desta vez, para Bolívia, Chile e Argentina.

A seguir, a influenciadora, que reúne mais de 50 mil seguidores em seu perfil no Instagram (@sanymax), conta para o blog Let´s Atlantica os destinos mais incríveis que conheceu sob duas rodas – e dá dicas para quem for viajar de moto pela primeira vez.

Os lugares mais incríveis que visitou
Lençóis Maranhenses, no Maranhão. “Ter noção da magnitude daquele lugar foi de tirar o fôlego.”

Salar de Uyuni, na Bolívia. “Viver aquela imensidão de sal foi muito especial. Acampamos no salar e ver o sol nascer e se pôr com aquele céu estrelado foi emocionante.”

Paso San Francisco, entre o Chile e a Argentina. “A gente pegou uma estrada de chão e seguiu por uns 220 km vendo só pedra e areia. De repente, demos de cara com uma lagoa verde que parecia uma pintura de tão linda. Lá, dormimos no acampamento base da galera que vai escalar o Ojos de Salado, o vulcão mais alto do mundo. Esses três lugares me impactaram muito.”

Dicas para quem vai fazer a primeira viagem longa de moto
 1. Comece aos poucos
 “Comece pelo interior. Rode 100 km, 150 km, para conhecer o seu corpo, a sua moto, os seus limites. Esse teste é importante para saber quanto você consegue rodar sem ficar fatigada, quanto poderá rodar com um tanque, a velocidade em que fica confortável… Além disso, qualquer coisa que você precisar vai estar perto de casa e de pessoas que podem te ajudar.”

2. Não tenha pressa para chegar
 “Nunca viagem longa, não tenha pressa. No meu último dia de viagem, eu tinha que rodar 1.064 km. Quando você pensa nisso, o coração chega a palpitar. Então, eu nunca pensava nos 1.064 km e sim que só ia chegar à noite, e ia parando a cada 200 km. Quando eu retomava, era como se eu estivesse subindo na moto pela primeira vez naquele dia. Então, minha dica é: não tenha pressa de chegar – e controle a ansiedade.”

3. Atente-se ao roteiro
 “Além do autoconhecimento de saber quantos quilômetros você consegue rodar, planeje em que cidade vai dormir, verifique se tem posto de combustível no caminho, e quantas horas gasta para rodar por dia. Pare para curtir uma cachoeira, uma paisagem… isso faz com que sua viagem não seja chata, nem cansativa. Se tiver pouco tempo, reduza a distância e trace uma rota que permita que você curta e faça uma viagem tranquila.”

4. Esteja bem equipado
“Use um bom capacete, jaqueta de cordura, calça de cordura (que são aquelas roupas que têm proteções nos joelhos, cintura, costas, ombros e cotovelos), botas e luvas de couro. Ah, e não esqueça de levar na bagagem chaves reserva e um kit de reparo de pneu: macarrão, compressor ou cartuchos de CO2 e ferramentas de aplicação.”

Dicas de perfis para quem curte viajar de moto
“Eu sigo a Raquel Stein, primeira mulher brasileira a viajar por todos os estados sozinha em uma moto; a Celina Martins, outra menina que viaja bastante sozinha; a Alcione Fritz, que me ajudou muito no roteiro da última viagem; e a família Gomes, que traz dicas de roteiro, restaurantes, e onde dormir.”

Gostou das dicas? O próximo destino de Sany será o Rio Grande do Sul para visitar um amigo que conheceu na última viagem. “Ainda não decidimos se vamos para Cambará do Sul ou outra cidade, mas nossa próxima aventura está chegando!”, comemora a jovem aventureira.

Posts Relacionados

Se você gosta de fazer passeios culturais nas férias, não perca a oportunidade de conhecer espaços históricos e artísticos. Caso sua próxima

Vai viajar e quer saber quais pontos turísticos em Brasília incluir no seu roteiro? Conhecido por sua arquitetura moderna e planejamento urbano

Vai viajar para o interior paulista e quer saber o que fazer em Bauru? A cidade vibrante a 330 km da capital